Estou atrasado para esse assunto, eu sei. Mas como ainda tem muita gente comentando e no fim de semana tem corrida de novo, vamos lá!

Recapitulando para quem não viu ou não ficou sabendo: No último GP de F1 na Alemanha, Felipe Massa liderava a corrida quando foi informado que pelo rádio de que “estava mais lento do que Alonso”. Logo após esse comunicado, o piloto claramente abriu passagem para o espanhol, que tomou a dianteira e ganhou a corrida. O brasileiro chegou em segundo.

Agora, vamos aos fatos:

  • Felipe Massa é funcionário da Ferrari, pago para pilotar da melhor maneira que puder;
  • Fernando Alonso de fato era mais rápido e já havia feito algumas tentativas de ultrapassagem, sem sucesso.
  • Fernando Alonso era, naquele momento, o piloto da Ferrari mais próximo do líder do campeonato, 47 pontos atrás, enquanto Massa estava a 78 (!) pontos de distância.
  • A F1 é uma competição de equipes.
  • Estão proibidas as ordens da equipe para a inversão de posições na pista.

Fica mais do que óbvio do que o que ocorreu foi o que de melhor poderia acontecer para a equipe. Alonso em 1° e Massa em 2° era o melhor resultado possível para a equipe italiana. Melhor do que isso só se os dois carros da Red Bull e McLaren não completassem a prova. Pontuação máxima para a equipe, com o piloto mais bem colocado se aproximando dos lideres da competição.

A indignação é claro, fica por conta dos patriotas de ocasião, sempre a espera de algum acontecimento para dizer que o Brasil é sempre prejudicado, que ninguém gosta dos brasileiros e blábláblá. Provavelmente foram os mesmo que xingaram muito o Stallone no twitter. Trata-se, como sempre, da mais pura memória seletiva desses brasileiros, que só se revoltam quando são “prejudicados”. Lembre-mo-nos do campeonato do ano da graça de 2008, o qual era liderado por Lewis Hamilton e tinha Massa como segundo colocado. GP de Shangai – China, Hamilton liderava a prova e Massa era o 3° colocado, tendo seu companheiro de equipe Kimi Raikkonen a sua frente. Claro que nenhum brasileiro se revoltou quando Kimi deixou Massa passar, para que o brasileiro tivesse melhores chances na briga pelo título. Naquela época nenhum jornal bradou contra a manobra do finlandês, nem com a marmelada. Elementar.

O próprio Massa já sofreu as consequências da insubordinação antes, quando foi demitido de sua equipe por não dar passagem a um companheiro em melhor situação. O brasileiro não é nenhum novato na categoria e muito menos na sua equipe. Sabe muito bem quais as prioridades e aposto que também saiba fazer a simples equação matemática que comprova que, para a equipe, seria melhor ter Alonso em 1° naquele GP.

Que muita gente aqui ia chilicar isso já era esperado. O que me emputece é agora o Sr. Felipe Massa, se aproveitando do dramalhão feito pela imprensa brazuca, que chegou a dizer que esse foi um GP vergonhoso entre outros exageros, vestir a carapuça de vítima, se fazer de coitado. Se fez parte do jogo, foi por que concordou. Sem chorôrô.

Para com essa cara de bunda e “SEJE HOMI FELIPE MASSA”!

Agora me vem com essa média:

Massa nega ser segundo piloto e diz que não abriria de novo: ‘Vou vencer’

Deixa de ser bocó Massa! Se você estiver em primeiro e o Alonso em segundo é lógico que você vai abrir. Não há motivos para a Ferrari fazer tamanha burrice! Na própria entrevista ele diz que fará o que for melhor para a equipe. Oras, na atual situação o melhor para a equipe é fazer uma dobradinha com Alonso na primeira colocação.

Com relação a processos e multas: isso não dará em nada. A ordem não foi explícita para que trocassem de posição, na pior das hipóteses, Massa assume a bronca e a Ferrari paga uma multa qualquer.