“Governo Federal: Trabalhando em todo o Brasil.”, 1994 – 2002;

“Brasil um país de todos.”, 2003 – 2010;

“Brasil: País rico é país sem pobreza.”, 2011 – [?],

Onde vamos parar com esse populismo em busca do poder sem uma causa popular? Até quando o “ser o partido que ganhou” vai superar o “ser o partido que mudou, que melhorou, e deixou seu legado para as próximas administrações”?

 

Inicia-se uma luta contra o aumento de R$ 0,20 nas passagens ônibus com cerca de três mil manifestantes na grande capital, São Paulo, julgado pela mídia como uma luta sem propósito incentivada por hipócritas de classe média alta que nem utilizam do mesmo para se locomover. Então a policia vem e, literalmente, “desce o cacete” (com o perdão da expressão) nos manifestantes, a partir disso o GIGANTE ACORDA e diz ao país e ao resto do mundo que estiver interessado: “Não é apenas pelos R$ 0,20, mas por vários outros motivos que há anos vêm travando o avanço nacional.” Centenas de milhares de pessoas começam a sair às ruas para lutar por seus direitos, sem partidos, sem uma causa única (foco nessa parte), com um ponto de partida, mas sem um ponto de chegada até então e a policia ainda “desce o cacete” e a mídia busca sempre mostrar os confrontos e enfatizar que o movimento também contém vândalos que buscam causar a desordem. O governo se assusta, e começam as reuniões de emergência, pronunciamento em rede nacional, votação de emergência sobre os principais pontos colocados pelos manifestantes e o tal plebiscito vai sair do papel até setembro, segundo os senadores e deputados. Bom, até aí todos estamos esgotados de tanta repetição.

E agora? O objetivo foi cumprido? Vamos sentar e esperar o tal plebiscito sair para votarmos e todos sairão felizes?

 

Manifesto no Rio de Janeiro, junho de 2013

Como disse anteriormente, devemos focar na falta de uma causa única para as manifestações, pois o país tem passado por momentos de tantos transtornos, tanta falcatrua, tanto vandalismo por parte dos políticos brasileiros… Não se tem uma causa única, tem-se inúmeras deficiências causadas por um país com excesso de pessoas despreparadas, que nos dá tantos motivos para sair às ruas, que se enumerassem os problemas não haveria texto em si, apenas problemas.

Como não é o intuito desse texto ficar repetindo pela enésima vez os problemas que todos nós já conhecemos. O motivo desse texto é outro, é mostrar o porquê não devemos parar de “ir para a rua”, de pressionar os nossos representantes e de sempre estar em dia com a política municipal, estadual e federal.

 

 

Não podemos deixar de lado o gigante que tanto demorou a acordar, e agora que ele mostrou sua força, temos que continuar o movimento, para mostrar aos políticos que não somos vândalos, que se a população realmente quisesse quebrar alguma coisa, ela conseguiria facilmente e a primeira coisa a ser quebrada seria a cara dos políticos safados que estão “nos representando”. Ao acordar o gigante conseguimos lembrá-los que nós é que estamos no poder e que eles estão ali para que possam sempre melhorar o país, melhorar a situação da população e não para aproveitar disso e torná-la mais ignorante e de fácil manipulação.

 

Por isso que digo a vocês que, se continuarmos mostrando nossa força, mesmo sem causa única, sem partido; mais dia menos dia estes, que estão ali apenas para tirar proveito, estarão fora.

 

Não acredite na mídia, hoje temos o Youtube, o Twitter, o Facebook, essas são as grandes armas da população, no intuito de se organizar, estabelecer metas e buscar os ideais do nosso gigante, que tem que crescer cada dia mais.

 

As redes de televisão querem mostrar apenas o vandalismo, a baderna por alguns motivos simples:

  • audiência,
  • interesse político
  • desmoralização/desmotivação do movimento.

 

Sim, a mídia quer desmotivar o movimento porque a eles ainda interessa manter esses canalhas no poder pela influência positiva gerada pelos mesmos para a mídia, ou seja, o velho jogo de interesse. A partir do momento que esta achar que o movimento pode vencer a força repressora ela muda de lado, como começou a acontecer a partir do dia 17 de junho deste ano de 2013, onde por quatro dias de Copa das Confederações a rede globo, principalmente, parou de falar de futebol, cancelou a novela, para tratar a respeito das manifestações, pois perceberam a dimensão do movimento.

 

Prova disso foi ver os noticiários da rede globo em TV aberta e fechada com as matérias sendo gravadas ,por um repórter que era correspondente internacional ,e teve que voltar ao Brasil para trabalhar sem uniforme e sem qualquer outra identificação da rede globo. Isso ocorreu devido ao fato que o movimento “sem causa única” estava tão organizado e focado que conseguiu oprimir até mesmo a maior rede de comunicação do país.

 

É por isso que escrevi este humilde texto, para pedir a você que não pare de lutar, não pare de “ir pra rua” com seus propósitos, pois a falta de causa única (como é tratado pela mídia e por alguns alienados) nos faz ter uma única causa:

A BUSCA PELO VERDADEIRO BRASIL DOS BRASILEIROS.